Orla da Lagoa de Piratininga vai ganhar parque ecológico com áreas de lazer, de esporte e sistema cicloviário Imprimir

21/11/2019 - O projeto Parque Orla Piratininga (POP) foi apresentado nesta quinta-feira (21), no Museu de Arte Contemporânea de Niterói (MAC). A previsão é que a licitaçao para as obras aconteça em fevereiro de 2020. O POP faz parte do Programa Região Oceânica Sustentável (PRO-Sustentável), financiado pelo Banco de Desenvolvimento da América Latina – Cooperação Andina de Fomento (CAF).  O investimento será de R$ 60 milhões. 


Com a criação do POP serão implantados cerca de 10 quilômetros de sistema cicloviário ao longo de toda a orla da Lagoa, quatro píeres de contemplação e seis píeres de pesca, três mirantes e 17 áreas de lazer, três delas com quadra de esporte, além de brinquedos e academia de ginástica. A iniciativa contempla, ainda, a recomposição vegetal da orla da Lagoa, abrangendo uma área de mais de 150 mil metros quadrados.

“O POP é pop. Esse e projeto tem a cara do nosso governo. Ele muda a história do sistema lagunar e terá um plano de gestão que vai envolver os moradores, gerando oportunidades e renda. A Região Oceânica ficou esquecida durante décadas, mas nossa gestão mudou essa realidade", afirmou o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves.

O acesso ao Parque será favorecido para pedestres e ciclistas, prevendo baixo fluxo de carros. Cerca de cinco minutos de caminhada vão separar os pontos da TransOceânica às principais entradas do POP. A cada, no máximo, 15 minutos de caminhada, os visitantes encontrarão pontos de informações, lazer e contemplação.
Na Ilha do Tibau, por exemplo, será feita uma recomposição de ecossistema e implantação de infraestrutura de lazer, recreação, esportes. No meio de um grande bosque, será construída uma quadra poliesportiva e um campo de futebol, parque infantil, área de ginástica, mirante com vista para a lagoa, pontos de contemplação e áreas para piquenique.

O secretário municipal de Planejamento, Modernização da Gestão e Controle (Seplag), Axel Grael, explicou que este é um passo fundamental para a despoluição da lagoa e que um dos grandes diferenciais do POP é a implantação de um sistema de gestão de águas pluviais composto por bacias de sedimentação, jardins filtrantes, jardins de chuva e biovaletas para a captação e tratamento das águas provenientes dos rios e da rede de drenagem das principais bacias contribuintes à Lagoa de Piratininga.

“Esta iniciativa é uma das principais propostas elaboradas pela Prefeitura a serem implantadas na Lagoa de Piratininga visando a recuperar o ecossistema do seu entorno com as premissas do paisagismo ecológico. O jardim filtrante, por exemplo, é uma solução sustentável para redução da quantidade de sedimentos e nutrientes carregados pelas drenagens urbanas e naturais, no caso os rios, que chegam até a lagoa. Além disso, serão instalados equipamentos de lazer e recreação para que as pessoas possam usufruir de toda essa área”, ressaltou Axel Grael.

Com o Parque será possível restabelecer novo equilíbrio ecológico no entorno da Lagoa, manter e fomentar a atividade pesqueira na região, a abertura de espaços multifuncionais com equipamentos de lazer para a população; áreas de contemplação e de aproximação da população com a Lagoa de Piratininga, sua fauna e flora; além de intensificarmos questões voltadas para a educação ambiental, ecoturismo e gestão de resíduos sólidos.

“A apresentação deste projeto revela a nossa forma de governar, que começou em 2013, com um objetivo muito claro, que é o de buscar e ter uma cidade integrada. Realizamos obras importantes de mobilidade e o Parque faz parte deste novo contexto urbano que desenvolvemos. É um projeto modelo para a América Latina”, pontuou a secretária municipal de Fazenda, Giovanna Victer.

O deputado estadual Paulo Bagueira, que também participou da apresentação do projeto, destacou a importância da iniciativa para o desenvolvimento da Região Oceânica e da cidade.

"A marca deste governo são as entregas. E está será mais uma. Este será um projeto que vai reforçar o conceito desta gestão, que busca tornar cada vez mais Niterói uma cidade inteligente, sustentável e inclusiva", finalizou.