Niterói inicia plano de restrição de circulação com municípios vizinhos a partir deste sábado Imprimir

01/04/2020 – A Prefeitura de Niterói inicia o plano para reduzir a circulação com cidades vizinhas. Nesta primeira etapa do planejamento, entre 4 e 18 de abril, será proibida a circulação de táxis de municípios limítrofes e determinada a redução para 30% de ônibus intermunicipais no Terminal Municipal João Goulart. Hoje, o movimento já está reduzido a 45%. Serão montados pontos de bloqueio com agentes de trânsito e das forças públicas. Os caminhões e transportes de carga não sofrerão restrições para fazer entregas.

De acordo com o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, a medida é essencial para manter o isolamento social.

Segundo o boletim epidemiológico divulgado ontem, Niterói tem 62 casos confirmados, 16 hospitalizados, sendo 9 em Unidades de Terapia Intensiva, 22 em isolamento domiciliar sendo monitorados pela Secretaria de Saúde do Município. A cidade registra um único morto e tem 23 recuperados.

“Serão duas semanas críticas de propagação do coronavírus. Precisamos diminuir a entrada de pessoas na cidade já que Niterói é a segunda cidade do Brasil com maior circulação diária, com aproximadamente 250 mil pessoas que não residem aqui.

Com esta primeira etapa do plano, vamos verificar a curva de expansão do coronavírus em Niterói e nas cidades vizinhas para eventualmente adotar as outras medidas propostas no Plano”, explica o prefeito. "O objetivo é manter a curva de expansão do vírus achatada, o que já vem ocorrendo em Niterói graças à conscientização dos niteroienses com o isolamento social e às medidas que a Prefeitura vem tomando para combater a pandemia".


Construção de hospital em São Gonçalo – Outra importante medida a ser implementada no combate à Covid-19 é o Projeto de Lei que será encaminhado nessa quinta-feira (2) à Câmara de Vereadores para ser votado que define o aporte financeiro de recursos da cidade para a implementação de um hospital em São Gonçalo.

“Vamos fazer um aporte de recursos no Fundo Estadual de Saúde para implantar um hospital de campanha com 200 leitos na cidade vizinha que conta com poucos leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e baixa capacidade de investimento. O Governo de Estado entra com uma parte e nós com outra. Vamos prestar auxílio à cidade vizinha e evitar a sobrecarga dos hospitais públicos de Niterói”, ressalta Rodrigo Neves.

O prefeito destaca, ainda, que a cidade prossegue com ações como sanitização pelas comunidades da cidade e ruas de grande fluxo, entrega dos kits de higiene para famílias atendidas pelo médico de família (nesta quinta-feira (2) será a vez dos moradores do Morro do Estado, sexta (3) será na Engenhoca e segunda (6) em Nova Brasília) e a vacinação de idosos que já cumpriu 70% da meta e está suspensa até a próxima segunda (6) quando o Ministério da Saúde deve enviar nova remessa para que a Secretaria de Estado de Saúde repasse ao município. Nesse período, as pessoas que têm idosos acamados ou com dificuldades de locomoção podem enviar e-mail para Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo. e solicitar a vacinação em domicílio.

Além disso, o Hospital Oceânico, referência no tratamento do Coronavírus, está sendo estruturado e ficará pronto no dia 10 de abril. A Prefeitura também já ampliou a oferta de leitos nas unidades de urgência da rede pública e adquiriu novas ambulâncias com UTI para dar cobertura à toda a cidade.

“Ressalto que toda estratégia que a prefeitura está fazendo coloca Niterói na vanguarda da luta contra o Coronavírus. Vamos manter o isolamento social até o dia 10 de abril para atravessarmos mais rápido essa pandemia e podermos retomar às nossas atividades. Nessa data, faremos uma reavaliação do ciclo epidêmico na cidade. Quero lembrar também que a janela aberta para serviços de mecânica e lojas de materiais de construção encerram nessa sexta-feira (3) e seguiremos apenas com os serviços essenciais abertos. Também peço que a população persevere no isolamento para mantermos a transmissão de forma mais lenta”, disse o prefeito de Niterói.