Niterói inaugura hospital de referência para casos graves de coronavírus Imprimir

IMG_1123

10/04/2020 – A Prefeitura de Niterói inaugurou o Hospital Oceânico, em Piratininga, nessa sexta-feira (10). Esse é o primeiro hospital de referência inaugurado apenas para atender casos graves de coronavírus. Nesta primeira fase, já estão disponíveis 40 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) equipados com respiradores. A expansão das vagas vai acontecer de forma gradativa, conforme a evolução do número de casos na cidade, e chegará a 140 leitos.

 

O Prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, diz que a inauguração do hospital, no prazo recorde de 20 dias, só foi possível devido ao esforço da equipe.

“Esse é o primeiro hospital referência apenas para tratar da Covid-19 inaugurado no Rio de Janeiro. Já temos equipes qualificadas e protocolos de saúde devidamente regulamentados prontos para salvar vidas de muitos niteroienses. Preciso ressaltar que esse hospital não é de emergência aberta. Se você está sentindo sintomas leves como tosse, fique em casa. Caso sinta algo mais forte, como uma falta de ar, procure uma das quatro unidades referenciadas: Hospital Municipal Carlos Tortelly, Hospital Municipal Mário Monteiro e as Policlínicas da Engenhoca e do Largo da Batalha. Apenas os casos mais graves serão encaminhados dessas unidades para o novo hospital. Preciso lembrar que o mais importante é a atitude de cada cidadão de Niterói de perseverar em casa porque os próximos dias serão muito trágicos. Precisamos atravessar esse período salvando o máximo de vidas. Permaneçam em casa”, explicou o prefeito.

A inauguração contou com a presença do Governador do Estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, e do Secretário de Estado de Saúde, Edmar Santos, por teleconferência.

O governador do estado do Rio, Wilson Witzel, lembrou a dificuldade que tem sido tomar essas atitudes e manter o isolamento.

“No momento, o mais importante é preservar vidas e o mundo todo está tomando essas providências e se preparando para poder atender as pessoas que mais vão precisar. O momento é difícil, mas vamos ter que manter essas restrições por mais uns 60 dias, com um protocolo para circulação de pessoas, mas até lá precisamos manter o isolamento e preparar as unidades de saúde. Temos um número expressivo de pessoas que está se recuperando, em torno de 25% dos internados, e isso mostra que precisamos manter os hospitais funcionando para receber esses doentes e nossa corrida pela vida precisa continuar. Precisamos agir com rigor nesse momento. Temos que ponderar, o direito à vida e o direito à liberdade. O direito à vida é o mais importante nesse momento. Sempre repito, nós conseguimos recuperar empresas, mas pessoas não conseguiremos ressuscitar. Precisamos fazer nosso papel como cidadãos e como governantes que somos, desde que assumimos esse papel, o nosso dever é de cuidar das pessoas”, explica o governador.

O Secretário de Saúde do Rio, Edmar Santos, reforçou o coro.

“Em respeito aos profissionais de saúde que estão na frente dessa batalha, permaneçam em casa. Não é hora de ir à praia, dar uma voltinha no calçadão, corrida ao ar livre, pois isso, nesse momento, não representa saúde e sim um risco não apenas para quem faz, mas todas as comunidades. Àqueles que podem seguir o isolamento, fiquem em casa”, disse o secretário Edmar.

Hospital pronto em 20 dias - O novo hospital foi construído pela iniciativa privada, nunca foi inaugurado e estava fechado há dois anos quando foi arrendado pela Prefeitura como mais uma das medidas para garantir o auxílio médico para a população da cidade durante a pandemia do novo coronavírus. A Prefeitura realizou um trabalho de adequação das instalações e compra e implantação de equipamentos para a unidade entrar em operação. Além disso, o Hospital Carlos Tortelly também foi ampliado e atualmente conta com um novo Centro de Tratamento Intensivo (CTI) com 14 leitos exclusivos para casos de coronavírus, todos com respiradores, além de enfermaria destinada apenas para pacientes com a doença.